Educação remota: 4 dicas para otimizar a colaboração entre alunos e professores

Enquanto milhares de escolas e universidades no Brasil e no exterior se preparam para outro semestre de educação remota, os professores estão lutando para adaptar aulas presenciais para o ensino à distância.

É compreensível que educadores e instituições se sintam sobrecarregados com tantas mudanças acontecendo em tão pouco tempo. No entanto, é preciso entender as diferenças entre ensinar em uma sala de aula de tijolo e argamassa e ensinar em uma sala online.

O ensino na educação remota precisa ser muito mais dinâmico para manter tanto alunos quanto professores engajados. Pensando nisso, separamos 4 dicas de como otimizar a colaboração entre esses dois grupos na sua instituição! Acompanhe:

1.Utilize técnicas de aprendizagem dinâmica

Não há dúvidas sobre os desafios impostos pela educação remota — mas, sem dúvidas, o maior deles é manter os alunos engajados. Apenas reproduzir as técnicas de ensino utilizadas em salas de aula físicas no ambiente virtual não é efetivo. O aluno online deve possuir um papel muito mais ativo na sua própria aprendizagem do que o aluno offline.

Faça com que os alunos voltem a sintonizar-se adotando estratégias de aprendizagem dinâmicas e colaborativas que os estimulem a se envolver com o material e entre si. Estudos têm mostrado que a aprendizagem colaborativa online aumenta o desempenho acadêmico, a retenção de conhecimento e as habilidades interpessoais.

Incluir ferramentas como aplicativos de gravação de tela, salas de reuniões virtuais, documentos colaborativos e sistemas de gerenciamento de aprendizagem podem ser caminhos eficazes para a criação de ambientes de aprendizagem dinâmicos e interativos.

  1. Invista na tecnologia base para a educação remota

Em um ambiente de ensino remoto, a tecnologia é essencial. Afinal, foi justamente a tecnologia que permitiu que a educação remota tomasse forma — agora é ela também que permite que o ensino à distância seja tão eficiente quanto a sua versão presencial.

Aproveitar as ferramentas de tecnologia que ajudam a garantir que os alunos permaneçam concentrados em suas tarefas e atinjam seus objetivos de aprendizagem resultará em alunos mais participativos em sua própria educação.

Do lado dos professores, a tecnologia permite que acompanhem o desempenho em grupo e individual mais de perto, ao mesmo tempo que cria conexões interpessoais para que a falta do contato pessoal seja minimizada.

Além disso, a tecnologia também provou ser uma mão amiga para professores que às vezes têm dificuldade em explicar certas coisas dentro dos limites de uma sala de aula física. Professores experientes em tecnologia são capazes de preparar suas aulas de uma maneira mais estratégica, incluindo diferentes tipos de texto, modelos de atividades e controles interativos para os alunos.

Veja mais >> A LGPD e as instituições de ensino

  1. Aposte na educação remota interativa

A tecnologia dá aos professores a capacidade de envolver todos os alunos na aprendizagem interativa, para que possam treinar seu pensamento crítico e resolução de problemas. E, melhor ainda, isso pode funcionar em todas as disciplinas em um ambiente trans curricular.

Essa é uma maneira importante de tornar o aprendizado mais envolvente, especialmente no ambiente de ensino à distância, onde as atividades rotineiras podem ser fáceis, mas deixar os alunos desinteressados.

Ao desenvolver diferentes atividades, integrar tecnologias e criar uma variedade de oportunidades de avaliação, a interação online incentiva o envolvimento dos alunos e ajuda na retenção de conhecimento.

Os fóruns de discussão têm sido muito usados ​​na construção do processo de aprendizagem na educação remota. Por meio deles, os alunos podem conduzir as conversas com mais flexibilidade e compartilhar insights com uma reflexão aprofundada dos conhecimentos e habilidades adquiridos.

Outras atividades de interação comumente usadas são gincanas temáticas, viagens de campo virtuais a locais clínicos / museus / zoológicos, vídeos interativos (questionário em vídeo) e palestras guiadas por perguntas etc.

  1. Obtenha feedback e analise dados

Outro dos grandes benefícios da educação remota é a quantidade de dados gerada. Assim como empresas e indústrias no mercado, sua instituição de ensino pode usar o poder dos dados para melhorar as técnicas de aprendizagem e reter alunos.

Sua empresa de ensino online provavelmente ainda não está toda formada — este é um trabalho ainda em andamento, que deve depender também do que seus alunos têm a dizer. Professores e instituições devem definir formas de coletar dados sobre as aulas, analisar as informações e extrair insight acionáveis a partir delas, para que se transformem em melhorias efetivas na sala de aula virtual.

Por isso, o primeiro passo, é mostrar aos alunos que a opinião deles importa e que eles podem se sentir à vontade para expressá-la. É preciso garantir que os alunos se sintam confortáveis com a tecnologia utilizada na sala de aula virtual e que não haja problemas técnicos na conexão entre alunos e professores.

Além disso, os alunos também devem ter um espaço para opinar sobre os métodos de ensino de cada professor e o que acham que pode melhorar. Ao sentir que suas vozes são ouvidas, os alunos estarão muito mais propensos também a escutarem eles mesmos.

A mudança repentina em direção ao aprendizado remoto não foi fácil, mas as técnicas de aprendizado colaborativo podem ajudar os alunos a se sentirem envolvidos e engajados, mesmo por meio de uma tela de computador.

A aprendizagem colaborativa online não acontece espontaneamente. Requer um planejamento cuidadoso e as ferramentas certas para tornar a participação fácil e simples. Procure um parceiro que te ajude a desenvolver fluxos projetados para envolver mais os alunos, mesmo a milhares de quilômetros de distância.

Gostou do nosso artigo? Continue aprendendo e veja também as soluções para ensinar em um mundo cada dia mais digital!

N&DC Systems IntegrationEducação remota: 4 dicas para otimizar a colaboração entre alunos e professores
Leia Mais

Atendimento remoto na triagem de pacientes: capacite médicos, equipes e otimize a segurança de todos!

O campo da telemedicina, ou atendimento remoto, mudou drasticamente desde o seu início. Você pode se surpreender, mas a ideia de cuidar de pacientes remotamente não é nova, tendo surgido há cerca de cinquenta anos quando alguns hospitais começaram a fazer experiências com telemedicina para alcançar pessoas em locais remotos.

Porém, com as rápidas mudanças na tecnologia nas últimas décadas e com o isolamento imposto pelo coronavírus, o atendimento remoto se transformou em um serviço integrado usado em hospitais, residências, consultórios médicos particulares e outras instalações de saúde.

Para te mostrar, fizemos um breve resumo dos avanços do atendimento remoto de pacientes nos últimos anos, das tecnologias usadas e dos benefícios que a telemedicina traz tanto para instituições de saúde quanto para pacientes. Acompanhe!

Telemedicina: o atendimento remoto dos pacientes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) se refere à telemedicina como “cura à distância”. Basicamente, a telemedicina é o uso de tecnologia para fornecer serviços clínicos remotos aos pacientes. Os médicos usam a telemedicina para a transmissão de imagens digitais, consultas por vídeo e diagnóstico médico remoto.

Hoje, as pessoas não precisam mais agendar uma visita pessoal ao médico para receber o tratamento. O uso de conexões seguras de vídeo e áudio possibilita aos especialistas tratar os pacientes mesmo que eles estejam em suas próprias casas.

O primeiro objetivo do atendimento remoto de pacientes era atender aquelas pessoas que viviam em lugares remotos, longe dos grandes centros médicos. Hoje, a telemedicina continua ajudando a solucionar esse problema, mas ganhou novos propósitos nos últimos anos.

Além de permitir que as pessoas continuassem isoladas como forma de mitigar a propagação do coronavírus, o paciente moderno de hoje busca mais conveniência nos seus agendamentos. Ele quer marcar e realizar consultas pela internet, sem que precise perder tempo se deslocando ou aguardando em salas de espera lotadas — benefícios que o atendimento remoto oferece.

Os benefícios do atendimento remoto de pacientes

Conhecida como um avanço tecnológico que está mudando toda a infraestrutura de saúde, a telemedicina veio para ficar. Hoje, pacientes, provedores e pagadores podem se beneficiar com o atendimento remoto.

Sistemas de saúde, consultórios médicos e instalações de enfermagem qualificadas estão usando a telemedicina para fornecer cuidados com mais eficiência. As tecnologias que vêm integradas ao software de telemedicina, como registros médicos eletrônicos, diagnósticos de IA e dispositivos médicos de streaming, podem auxiliar melhor os provedores no diagnóstico e tratamento.

Este último permite que os provedores monitorem os pacientes em tempo real e ajustem os planos de tratamento quando necessário. Em última análise, isso leva a melhores resultados para o paciente.

Os provedores também podem se beneficiar com o aumento da receita. Ao utilizar a telemedicina, os médicos podem atender mais pacientes sem a necessidade de contratar mais funcionários ou aumentar o espaço do escritório. Especialistas em telemedicina ajudam os provedores a configurar soluções de telemedicina compatíveis com as leis em voga, para agilizar os fluxos de trabalho e melhorar o atendimento ao paciente.

Do lado dos pacientes, a telemedicina permite que eles tenham acesso ilimitado aos serviços de saúde e vejam um médico sem sair de casa. Idosos com dificuldades de locomoção e pessoas em locais remotos podem fazer uma consulta com o uso de dispositivos médicos de streaming. A propagação de doenças (como a COVID-19) também é reduzida, pois aqueles contaminados não precisam expor outras pessoas em salas de espera lotadas.

Como o atendimento remoto é aplicado

Então, agora você sabe o que é o atendimento remoto e como ele beneficia instituições e pacientes. Mas como os sistemas de telemedicina são realmente entregues? Que tipo de tecnologia permite conexões digitais entre um provedor em um grande hospital e um paciente em uma casa rural remota?

Com a expansão da internet, muito da forma como a telemedicina é fornecida mudou. Agora, com uma simples conexão à internet, muitos pacientes em áreas remotas podem cuidar da sua saúde e se conectar com médicos onde quer que estejam.

No entanto, muitos podem se perguntar quais são as aplicações mais valiosas da telemedicina? Vamos descobrir algumas maneiras populares que a telemedicina é usada hoje.

Gestão de doenças crônicas

Os dispositivos tecnológicos de hoje permitem aos médicos monitorar a saúde dos pacientes de longe. Os vestíveis permitem que os provedores acessem a frequência cardíaca, pressão arterial, níveis de glicose e muito mais por meio da transmissão de dados de um dispositivo para outro, possibilitando que acompanhem pacientes com doenças crônicas de longe, sem que eles tenham que se deslocar regularmente para hospitais ou clínicas.

Gestão de medicação

Aqueles no setor de saúde reconhecem que o gerenciamento de medicamentos é essencial, especialmente entre os idosos. Os idosos têm maior probabilidade de esquecer de tomar seus medicamentos, e é aí que entra a telemedicina. Prestadores de serviços e outros profissionais de saúde podem usar a tecnologia para monitorar quando e se seus pacientes tomaram os medicamentos. Como resultado, isso leva a menos readmissões hospitalares.

Compartilhando informações médicas

Hoje, os médicos da atenção primária podem se conectar com especialistas que estão em outro local. Informações de saúde, como imagens diagnósticas, análises de sangue e muito mais dados podem ser compartilhados para uma avaliação apropriada do paciente em tempo real.

Esvaziando a sala de emergência 

Sem dúvida, o pronto-socorro é um dos ambientes mais caros, superlotados e estressantes da saúde. Com a telemedicina, salas de emergência superlotadas podem ser reduzidas fazendo com que os pacientes consultem um médico remoto usando primeiro o chat por vídeo. O médico remoto pode determinar se aquele indivíduo deve procurar atendimento em um departamento de emergência, o que aumenta a eficiência do pronto-socorro.

O atendimento remoto ainda tem muito a avançar para se tornar uma opção realmente viável a todos. No entanto, os avanços dos últimos anos mostraram que a tecnologia na medicina veio para ficar, melhorando os cuidados oferecidos ao paciente e otimizando os custos internos das instituições.

Quer saber mais sobre o atendimento remoto? Veja 5 tendências para o futuro da medicina e saiba como elas podem afetar sua instituição ou entre em contato com nossos especialistas. Estamos prontos para te auxiliar em qualquer dúvida.

N&DC Systems IntegrationAtendimento remoto na triagem de pacientes: capacite médicos, equipes e otimize a segurança de todos!
Leia Mais

Mobile experience: como é possível melhorar o engajamento dos alunos no campus?

Atualmente, os dispositivos móveis são onipresentes e permeiam todos os aspectos de nossa vida, permitindo-nos fazer as coisas quando e onde precisamos. Com tamanha importância, não é de admirar que as experiências móveis (mobile experience) tenham alcançado também a educação.

Quando falamos de educação, o impacto de uma boa experiência móvel pode ser sentido diretamente no desempenho dos alunos. A educação pode ser (e está sendo!) completamente transformada pela nuvem e aplicativos móveis que permitem superar desafios e aumentar o alcance do conhecimento.

O mobile experience na educação pode aumentar o engajamento de toda comunidade (incluindo alunos, professores, funcionários, administradores e pais) de formas nunca vistas.

Para que você fique por dentro, abaixo te mostramos os desafios que podem ser superados na educação com a ajuda de tablets e smartphones! Acompanhe!

Os desafios da educação que o mobile experience ajuda a superar

O mobile experience na educação representa uma forma de abordar vários dos nossos problemas educacionais. Dispositivos como smartphones e tablets permitem a inovação e ajudam alunos, professores e pais a obter acesso a conteúdo digital e avaliação personalizada vital para um mundo pós-industrial.

Os dispositivos móveis, usados ​​em conjunto com a conectividade sem fio 4G / 5G são ferramentas essenciais para melhorar o aprendizado dos alunos. A tecnologia de conexão sem fio é uma forma de fornecer novos conteúdos e facilitar o acesso às informações onde quer que o aluno esteja, dentro ou fora da sala.

À medida que telefones celulares, tablets e outros dispositivos conectados se tornam mais comuns e acessíveis, o mobile experience pode melhorar drasticamente o aprendizado e levar conteúdo digital aos alunos.

Os alunos adoram a tecnologia móvel e a usam regularmente em suas vidas pessoais. Portanto, não é surpresa que os jovens queiram empregar dispositivos móveis para tornar a educação mais envolvente e personalizá-la de acordo com suas necessidades específicas.

Em comparação com atividades não-tecnológicas, a tecnologia móvel permite aumentar o envolvimento dos alunos. Por isso, instituições de ensino e educadores precisam entender como aproveitar o mobile experience para impulsionar o aprendizado.

Veja mais >> Os segredos de ensinar em um mundo digital

Os benefícios do mobile experience para a educação

A aprendizagem móvel torna possível estender a educação além dos limites físicos da sala de aula e além dos períodos fixos do dia escolar. Ela permite que os alunos acessem o conteúdo de casa, se comuniquem com professores e trabalhem com outras pessoas online.

Dessa forma, o mobile experience oferece os seguintes benefícios para alunos, educadores e instituições:

  1. Aprenda em qualquer lugar, a qualquer hora

O aprendizado móvel permite flexibilidade, eliminando a necessidade de que o ensino aconteça em um determinado momento e lugar, e permitindo que os alunos acessem o conteúdo quando e onde quiserem.

Isso aumenta a flexibilidade, algo valorizado por alunos que, cada dia mais, dividem seu tempo de estudo com diversas outras atividades. O mobile experience se integra perfeitamente a aprendizagem na rotina diária do aluno, o que resulta na conclusão bem-sucedida do estudo e na retenção de conhecimento.

  1. Entrega reduzida levando a um aprendizado mais rápido

A mudança em direção à micro aprendizagem — que permite aos alunos digerir “pedaços” menores de conteúdo para aumentar a absorção — é impulsionada pela adoção de celulares como um modo de aprendizagem.

O conteúdo apresentado através de dispositivos móveis é nítido e conciso. As informações são mais facilmente acessíveis quando necessárias para o treinamento, não importa onde o aluno esteja. Isso ajuda a evitar a sobrecarga cognitiva e aumenta o aprendizado.

  1. Melhora a retenção de conhecimento

O mobile experience leva a uma maior retenção de conhecimento, graças ao fato de que os alunos são mais propensos a lembrar de dados nítidos e concisos, que eles consideram relevantes e relacionáveis, no momento que precisarem.

Assim, eles serão capazes de relembrar informações de maneira mais fácil e melhorar seu desempenho, visto que conseguem gravar o assunto em sua memória de longo prazo.

Além disso, mais e mais alunos agora preferem conteúdo multimídia para permanecer envolvidos em um ambiente de aprendizagem, como vídeos, podcasts e áudios. Eles também apreciam mais controle sobre suas sessões de ensino — tudo possibilitado pelo mobile experience.

  1. Personalização que leva a uma taxa maior de engajamento

Uma das vantagens amplamente conhecidas do aprendizado móvel é a personalização. Os cursos feitos sob medida promovem uma maior taxa de engajamento e motivação para os alunos.

Em suas vidas individuais, os jovens estão acostumados aos conteúdos personalizados e comunicação instantânea. Eles buscam informações 24 horas por dia e querem informações que sejam relevantes para seus interesses particulares.

Assim, a educação também deve ser uma atividade individualizada. O conteúdo deve ser onipresente e personalizado para que os alunos possam seguir suas paixões de aprendizado e descobrir onde obter respostas para perguntas básicas.

  1. Design responsivo que leva à fácil adoção

Todos nós já nos deparamos com sites que ficam bem em nossos computadores e notebooks, mas não funcionam bem em nossos smartphones.

O design responsivo permite que a interface se adapte a vários tamanhos de dispositivos, seja desktop, laptop, smartphone ou tablet. Isso possibilita que os alunos tenham sempre o conteúdo em mãos, não importa qual dispositivo utilizem.

A adoção do mobile experience na educação vai de encontro às mudanças que a tecnologia tem trazido ao perfil comportamental do aluno. Cada dia mais, as novas gerações dominam as salas de aula de faculdades, querendo uma aprendizagem adequada às suas realidades.

Para saber mais sobre como o mobile experience melhora o engajamento dos alunos, entre em contato conosco!

N&DC Systems IntegrationMobile experience: como é possível melhorar o engajamento dos alunos no campus?
Leia Mais